Sister Darkness: Coletânea busca ampliar debate sobre a presença da mulher nos subgêneros do rock

0
7
views

No Dia Internacional da Mulher, o blog Bull in the Heather e o site Metal Ground lançam a coletânea Sister Darkness. O título é uma referência à canção de mesmo nome da cantora alemã Doro Pesch,conhecida também como “Queen of Heavy Metal”. Doro foi vocalista da banda Warlock e se tornou uma das grandes representantes femininas no universo do metal.

A seleção conta com bandas brasileiras, de som extremo (thrash, grind, crust, death, hardcore), que tenham ao menos uma integrante feminina em suas formações.

Os grupos que abraçaram a ideia são: Cauterization (SP), Darksiders (PB), Dropped Out (CE), Exxon (PR), Finita (RS), Gangrena Gasosa (RJ), Hellarise (SP), Losna (RS), Manger Cadavre? (SP), Miasthenia (DF), Nervochaos (SP), Sinaya (SP), Severa (RJ) e Luxúria de Lilith (GO). 

O lançamento, além de ser uma homenagem a estas guerreiras do metal, busca ampliar o debate sobre a presença da mulher nos subgêneros do rock.

Algumas bandas estão lançando material novo neste Dia Internacional da Mulher. É o caso da Miasthenia (Brasília-DF), que vem com a porrada “Ossário”. A música é uma homenagem às deusas guerreiras Amazonas e fala da resistência das mulheres contra a conquista e catequização em tempos coloniais.

Já a Nervochaos, banda paulista consagrada na cena do metal nacional e internacional, participa com a inédita Ad Maiorem Satane Gloriam, faixa do sétimo álbum Nycthopilia. O disco será lançado mundialmente no dia 7 de abril na América do Norte e Europa. A presença e atitude de palco da guitarrista Cherry Taketani, conhecida por sua atuação na banda Hellsakura, tem sido inspiração para muitas mulheres se aventurarem no mundo do metal.


Outra representante da cena paulista, a HellArise, apresenta o single inédito “Shaded Land”. A faixa aborda um mal que atinge muitas pessoas hoje em dia: a depressão. Descreve o conflito de sentimentos, a força para não desistir e, ao mesmo tempo, a vontade de deixar tudo para trás. A música alterna momentos berrados a passagens melódicas e vocais suaves de Flávia Morniëtári, sendo uma representação da oscilação dos sentimentos vividos pelas pessoas com depressão.   

De conexão Rio de Janeiro – Canadá, a Severa também apresenta o lançamento “Madness In Its Place”. A faixa inédita é um thrash brutal, entoado por Juliana Hesegawa, que aborda a história verídica do sinistro hospital psiquiátrico inglês Severalls Hospital. A Severa está finalizando as gravações do EP “Turbulent Flow”, com previsão de lançamento para o primeiro semestre deste ano.

Lançada recentemente (em fevereiro de 2017), a porrada “Bruxas da Noite”, da Manger Cadavre?, apresenta uma homenagem mais do que justa ao papel feminino em todas as esferas da sociedade. A música conta a história das pilotos soviéticas que formaram o 588º Regimento de Bombardeio Noturno. Este regimento era constituído somente por mulheres e teve atuação fundamental na guerra contra o nazismo.

Já a carioca Gangrena Gasosa participa com seu Saravá Metal, uma fusão única dos elementos sonoros e visuais do metal com a cultura afrobrasileira. Os pontos de candomblé são a inspiração do grupo para suas letras. A música “Chuta que é macumba”, do álbum “Se Deus é 10, Satanás é 666” [2011], é um hino para qualquer pessoa que se depare com todo tipo de despachos em cada encruzilhada da vida. A presença feminina do Gangrena é a percussionista Ge Vasconcelos, a qual representa a Pomba Gira nos palcos.

Diretamente de João Pessoa (PB), a Darksiders vem com “Rotina”, de início lento, que logo se torna uma porrada acelerada: “O medo do fracasso, de ser esquecido / e se tornar mais um arquivo perdido”, berra Thuany, vocalista da Darksiders. Já a Sinaya (SP) surge com o death “Buried by Terror”, entoado por Mylena Monaco, que alterna passagens brutais com belos solos melódicos de guitarra.

De Santa Maria (RS), a Finita vem com um death melódico com adição de teclados, que dão um tom gothic metal à canção. A faixa “The Other Face” alterna vocais limpos com berros guturais da “frontwoman” Luana. Já a Dropped Out vem de Caucaia (CE), com o hardcore brutal “Sem Folga Para a Perícia”, ataque poderoso, veloz e berrado entoado por XEltonX (vocal e guitarra), Ítalo Pivete (bateria) e Dejane Grrrl (baixo).

Sister Darkness está disponível para audição e download gratuito no Bandcamp, 4Shared e Mediafire. Confira aqui:

https://queensofnoisecoletanea.bandcamp.com/album/sister-darkness

A coletânea conta com apoio da Mutante Radio, plataforma online radiofônica que promove a música independente nacional e também da Ponte Plural, iniciativa cultural de fomento ao empreendedorismo musical brasileiro.

Links:

https://bullintheheatherblog.wordpress.com

https://queensofnoisesite.wordpress.com

www.ponteplural.com.br

www.mutanteradio.com

Arte de capa: Ricardo Drago.
Foto: Thaís Gallart
Boots: Martha F.

Bandas:

– Cauterization – https://www.facebook.com/Cauterization/?fref=ts
– Darksiders  – https://darksiders666.bandcamp.com
– Dropped Out – https://droppedout.bandcamp.com
– Exxon www.facebook.com/exxonbr
– Finita http://tnb.art.br/rede/finita
– Gangrena Gasosawww.facebook.com/gangrenagasosa
– HellArise – https://hellarise.bandcamp.com
– Losna www.losna.com.br
Manger Cadavre?https://mangercadavre.bandcamp.com
– Miasthenia – https://miasthenia.bandcamp.com
– NervoChaos www.nervochaos.net
– Severa – www.facebook.com/severathrash
– Sinaya – http://sinayaofficial.com


Comente